O que me fez fazer transição capilar e nunca mais fazer escova progressiva?

Se tem uma coisa que eu aprendi é que um cabelo nunca é só um cabelo. É isso que você irá ver aqui neste post emocionante de uma seguidora anônima. Confira logo abaixo :)

Se tem uma coisa que eu aprendi é que um cabelo nunca é só um cabelo.

Preste atenção:

” os fios dizem muito sobre uma pessoa. “

Tem quem gosta de pintar, fazer penteados diferentes ou deixá-los sempre bagunçados e naturais.

Eu não tinha parado para refletir sobre a função representativa dos fios até um momento da minha vida em que precisei entender quem eu era de verdade. 

Eu havia me cansado de fazer escova progressiva, já havia tentado de tudo desde a escova mais simples até a melhor escova progressiva do mercado.

Mas eu não  queria mais, era hora de mudar, ter meus cachos novamente.

Eu só sabia que queria me sentir bonita.

Queria ir na baladinha e não sair de lá parecendo um leão indomado (detalhe: hoje eu amo o visual leão indomado).

Eu fiz e todo mundo elogiou. 

Mas chegou um momento em que eu comecei a mudar.

A Transição Capilar é um Processo!

Passei por um processo de autoconhecimento grande envolvendo muita coisa: quem eu era, quem eu queria ser, o que eu acreditava de verdade.

Me encontrei…

  • no feminismo;
  • na liberdade pessoal;
  • no contato com pessoas diferentes;
  • na meditação;
  • nas coisas importantes da vida.

E eu só queria romper com todos os padrões da sociedade em que tinha me amarrado até então. 

Eu estava começando a cansar da escravidão do salão e mais ainda querendo saber quem eu era de verdade, quem escondi durante anos.

Eu nem sabia como era o meu cabelo.

Via as cacheadas lindas e achava o máximo.

Li muito sobre empoderamento e aceitação.

Não dava mais pra seguir daquele jeito. 

Eu tive muito medo de me achar feia, de não gostar do resultado, de jogar minha autoestima no chão.

Mas eu tinha que tentar.

Passar pela Transição Capilar EXIGE TEMPO!

Vamos lá para um ano de transição.

Mas valia tanto a pena que você até esquece da transição depois.

E é verdade. 

E a real é que a minha história com os cachos tem muito a ver com as mulheres incríveis que eu conheci na vida.

Pela primeira vez me olhei no espelho e quase não me reconheci.

A real é que eu estava me conhecendo ali. 

Foi muito mágico, de verdade.

Aprendi a cuidar do cabelo cacheado, o que muda tudo.

Gente, não existe cabelo feio.

Todo cabelo é lindo.

Às vezes você só precisa ajustar umas coisas.

Os meses seguintes foram de muita descoberta.

Eu me apropriei daquele cabelo e estava muito feliz com isso.

A maioria das pessoas elogiou – que delícia conviver com gente que compartilha os mesmos princípios que os seus, né?

Dava pra ver que aquilo foi uma libertação pra mim. 

Algumas me criticaram, mandaram indireta, falaram que eu não era mais uma pessoa “chique”.

Pessoa chique? Sério?

Porém…

é complicado pensar que se você for uma dessas pessoas e fizer um comentário como esse para alguém que está na transição e está triste com os dias difíceis do cabelo.

Pode deixar a pessoa bem magoada e balançada.

Deixa eu te explica melhor…

Vamos lá:

” a gente nasce com um cabelo com uma textura, algo que não pode ser mudado sem química.

Para quê criticar uma característica natural da pessoa?

Tirando que também há uma questão de gosto.”

Enfim…

Depois disso, já cortei o cabelo duas vezes, conheci profissionais muito bacanas que entendem e sabem fazer cachos ficarem ainda mais lindos.

Ainda bem!

Com os meus cachos eu me…:

  • descobri;
  • aprendi a me amar;
  • a enxergar belezas diferentes;
  • a me conectar com a minha verdadeira natureza.
Não! Essa não é a seguidora rsrs.

Acho que me tornei uma pessoa mais sensível também.

Hoje entendo que a beleza vem de dentro e tem muito a ver com todos os sentimentos que citei anteriormente.

Ah…

Também tem o alívio de poder entrar no mar e não me preocupar, não precisar mais usar secador, chapinha…

E a economia de dinheiro 🙂

História de uma Seguidora Anônima

História de uma seguidora que aceitou seus cachos de volta.

P.S.: Ela não quis revelar seu nome e nem seu rosto.

Agora me fala:

Ela te representa? Você tem passado ou já passou por isso?

Me conta nos comentários 🙂

Se você deseja ter sua história aqui, é só me avisar por meio dos comentários.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Seja o primeiro a comentar!

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.